O Histórico Serviço de Jantar Canadiano

O Histórico Serviço de Jantar Canadiano (Comemorativo de Cabot), foi produzido em 1896 e 1897 para comemorar os 400 anos da descoberta do Canadá por Giovanni Caboto (conhecido, em inglês por John Cabot) e para ser oferecido ao Governador-geral, John Hamilton-Gordon (1847-1934). Na realidade, a ideia não foi original, uma vez que já a mulher do presidente dos Estados Unidos Rutherford Hayes, tinha encomendado em 1879 à Manufactura Haviland, em Limoges, um Serviço para os jantares de Estado oferecidos na Casa Branca. Contudo, incitada pelo artista americano Theodore Davis a criar algo que retratasse, puramente, a fauna e a flora americanas, modificou a encomenda, enviando para Haviland cerca de 130 desenhos que retratavam o ambiente americano, feitos pelo referido artista.
O Histórico Serviço de Jantar Canadiano é composto por 204 peças (para banquetes de Estado até 24 convidados) com motivos decorativos, todos diferentes, alusivos ao Canadá.

Mary Ella Dignam
Fonte: www.collectionscanada.gc.ca

A história que assiste à produção deste Serviço é interessante. Em 1896 a Associação de Arte Feminina do Canadá, dirigida por Mary Ella Dignam (1857-1938) decidiu criar um Serviço de Estado, de jantar, cujas peças deveriam ser pintadas pelos membros da Associação. Para esse efeito foi criado um Comité que ficou incumbido de reunir fotografias e desenhos de cenários relativos ao Canadá, nomeadamente Fortes e campos de batalha, fauna e flora. Foi então lançado um concurso entre as artistas canadenses, que provieram de Toronto, Ontário, Québec e Nova Escócia, sendo o trabalho repartido por 16 segundo as suas aptidões artísticas.

Uma vez terminado, o Serviço foi exibido em Toronto, Montreal e Québec tendo sido particularmente elogiado, numa altura em que se desprezava a arte colonial por oposição à produzida nas metrópoles europeias. Ainda assim, o Governo Canadiano manteve-se relutante em proceder ao pagamento dos mil dólares canadianos pedidos pela referida Associação, o que motivou um pedido de ajuda ao Senado e à Casa dos Comuns, cujos membros acabaram por pagá-lo por subscrição privada.

Isabel Hamilton-Gordon, Condessa de Aberdeen
Fonte: en.m.wikipedia.org

Em 1898, o Serviço foi formalmente oferecido à Condessa de Aberdeen (1857-1939), no terminus do mandato do marido como Governador-geral, como forma de reconhecimento dos esforços da Condessa na dignificação das mulheres canadianas. No discurso de agradecimento, a Condessa terá proferido a seguinte mensagem:

«Estas cenas pintadas recordar-nos-ão as várias vozes das pradarias, lagos e rios e assombrar-nos-ão na nossa casa, mas haverá um sussurro das vozes mais profundas que nos falará do amor humano e da amizade e essas vozes, formando um coro invisível, falar-nos-ão na mais pura música do Canadá».
O Serviço seguiu, assim, para a Escócia, mais concretamente para o domínio dos condes de Aberdeen, a «Haddo House», onde ainda se encontra, embora sob administração da instituição «National Trust for Scotland», fundada em 1931, que preserva as heranças naturais e culturais da Escócia.

Os pratos e as chávenas que compõem o Serviço podem ser apreciados com pormenor no sítio internet do Museu Canadiano de História, acessível por este link, no qual surgem ordenados pelos nomes das pintoras que os conceberam.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *