Um presente para Franz Joseph

Em 1851, é inaugurada a Grande Exposição de Londres, na qual, pela primeira vez, foram exibidos produtos manufaturados que, posteriormente, seriam os primeiros a integrar as coleções do South Kensington Museum, inaugurado em 1857, e atualmente conhecido por Victoria & Albert Museum. Organizada pelo Príncipe Alberto (1819-1861) e por Sir Henry Cole (1808-1882) decorreu no Ver Mais »

Tête-à-tête

Tête-à-tête de porcelana dourada e policromada, para servir Chocolate. Produzido em Viena pela Manufactura do Estado (“Staatmanufaktur”), foi escolhido e usado pelo Infante D. Afonso (1865-1920) após o falecimento do pai, D. Luís (1838-1889). D. Afonso era o filho mais novo de D. Luís I e de Maria Pia de Sabóia (1847-1911) tendo exercido, entre outras, Ver Mais »

Uma oferta ao Imperador Joseph II

Entre 19 de Abril e 30 de Maio do ano de 1777, o Imperador Joseph II (1741-1790) visita Paris e Versalhes; para assegurar a sua liberdade e os seus propósitos aloja-se no Hotel du Juste, em Paris, sob o nome falso de Conde de Falkenstein. De facto, não obstante ser um desejo do Imperador visitar Ver Mais »

As Porcelanas “Vista Alegre”

Chegado ao século XIX, Portugal ainda não se tinha aventurado pelas artes da produção de porcelana, pelo que provinham maioritariamente da China os artigos deste material que existiam no Reino. A situação iria mudar a partir de 1816. Com efeito, 4 anos depois de ter adquirido a Quinta da Eremida sita nos arredores de Ílhavo, Ver Mais »

As porcelanas “Royal Copenhagen”

Numa era em que as porcelanas eram o presente mais trocado entre membros da realeza e a aristocracia, encantados pelas porcelanas azuis e brancas das Dinastias Ming e Qing oriundas da China, e em que na Europa já se materializavam vontades de criação de centros de produção de porcelanas, a Dinamarca não se manteve alheia Ver Mais »

Página 1 de 8
1 2 3 8