Uma oferta ao Imperador Joseph II

Entre 19 de Abril e 30 de Maio do ano de 1777, o Imperador Joseph II (1741-1790) visita Paris e Versalhes; para assegurar a sua liberdade e os seus propósitos aloja-se no Hotel du Juste, em Paris, sob o nome falso de Conde de Falkenstein.

Joseph II

De facto, não obstante ser um desejo do Imperador visitar Paris, a viagem não é inocente; é, pelo contrário, motivada por dois objetivos: o primeiro, o de encontrar apoio no cunhado, o Rei Louis XVI (1754-1793), relativamente à suas pretensões sobre a Bavaria e, o segundo, de controlar [por forte recomendação da sua mãe, a Imperatriz Maria Theresa (1717-1780)] o comportamento da irmã, Marie-Antoinette, desconforme aos padrões de uma rainha, segundo o relato do Embaixador da Áustria em Paris, o Conde Mercy-Argenteau (1727-1794).

Marie-Antoinette

Com efeito, volvidos 7 anos da celebração do casamento, os monarcas franceses ainda não tinham consumado o casamento, devido a problemas de saúde do Rei, o que levou Marie-Antoinette a procurar outras distrações.

A conversa entre os irmãos foi pacífica e o Imperador teve a oportunidade de observar com atenção o comportamento de Marie-Antoinette e de ganhar a confiança do cunhado que, inicialmente, se tinha mantido distante e em certa medida indiferente à visita. No entanto, a mesma foi frutuosa e graças aos conselhos dados, não só a Rainha mudou a sua atitude como o Rei resolveu o problema de saúde, ao ser circuncidado, tendo consumado o casamento a 18 de Agosto de 1777.

No regresso a Viena, Joseph II leva uma significativa quantidade de peças de porcelana da Manufactura de Sèvres, incluindo o serviço de jantar exibido na imagem, composto por 295 peças, que lhe foi oferecido pela irmã.

Curiosidades!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.