Porcelanas “azul e branco”

Tachos&Porcelanas e as porcelanas “azul e branco”
É à Dinastia mongol dos Yuan (1279-1368) que se deve o aparecimento das porcelanas referidas por “azul e branco”. Usando-se o azul cobalto importado do médio oriente, eram produzidos vasos em formato octogonal, com motivos decorativos inspirados na natureza, desde flores de todos os tipos a animais reais e míticos, como dragões e a fénix. No entanto, é durante a Dinastia Ming (1368-1644) que a porcelana “azul e branco” conhece particular desenvolvimento, alastrando-se ainda ao início da Dinastia Qing, durante o “reinado” do imperador Kangxi (1661-1722). De facto, a Dinastia Ming foi a idade de ouro da porcelana “azul e branco”, por altura da descoberta do cobalto na China. O cobalto chinês, contudo, como continha manganésio não permitia a obtenção de um azul tão puro como o cobalto persa. Em resultado, passaram a misturar-se o cobalto chinês com o persa e é graças à percepção de uma quantidade específica do cobalto chinês, que é possível demarcar, com precisão, as porcelanas “azul e branco” da Dinastia Ming. Curiosidades!
Na imagem, travessa do serviço “Blue Canton” da Vista Alegre – Mottahedeh.

 

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *