O Chá

No ano 2737 A.C., o Imperador chinês Shen Nung (também referenciado pelo povo por Curandeiro Divino) descansava debaixo de uma árvore, enquanto esperava que os criados fervessem água para beber (o Imperador assim o decretara para controlar surtos epidémicos). Entretanto, algumas folhas da árvore caíram para o recipiente em que a água estava a ser fervida. O Imperador, ao presenciar a mudança de cor da água e ao sentir o aroma, decidiu prová-la e concluiu ser muito saborosa; e, sem se aperceber, tinha dado origem a uma bebida que se tornaria eterna e ao famoso chá-verde chinês (Camelia Sinensis).

Foi durante a Dinastia Tang (618-907) que o chá se tornou a bebida oficial da China e se alastrou às demais civilizações que com esta estabeleciam contacto, nomeadamente o Japão, onde chegou no século VII pela via dos monges budistas (sobretudo pelo monge Saicho, que levou para o Japão umas sementes, graças ás quais no século IX foram cultivadas as primeiras plantas) os quais asseguraram o seu perfil cerimonioso e religioso.

Gaspar da Cruz, um padre jesuita, foi o primeiro português a referenciá-lo numa carta ao Rei e, por isso, há quem defenda que Portugal tenha sido o primeiro reino do ocidente a consumir chá trazido pelos navegadores, seguido pelos holandeses que foram o primeiro a importá-lo (1606) e a levá-lo para o outro lado (ocidental) do mundo (1650); no entanto, a maioria das versões históricas atribui o mérito à Holanda de o ter dado a conhecer à Europa.

Em 1652 a bebida chega a Inglaterra levada por Catarina de Bragança, filha de D. João IV e de D. Luísa de Gusmão, aquando do seu casamento com o Rei Carlos II, tornando-a a bebida mais consumida na Corte. Em 1664, a Inglaterra encomenda 50 quilos de chá à Companhia da Índia Oriental mas os impostos sobre o produto eram tão elevados e o preço tão exorbitante que as vendas foram praticamente interrompidas. Em resultado, o contrabando instalou-se e desenvolveu-se de tal forma que o primeiro-ministro William Pitt decidiu diminuir o imposto sobre o mesmo generalizando defintivamente o seu consumo.

Curiosidades!!!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *